silêncio

Sentados frente a frente, não trocam uma palavra. Não terão nada para dizer ou é a intimidade que permite o longo silêncio? 

fraca probabilidade

Ouvir o “All I want for Christmas” pela Mariah Carey às 2 da manhã numa noite de sábado com 33º num bar em Alfama.

fortuito infortúnio

Durante o fim-de-semana, a newsletter da AnAnAnA foi responsável por um “happening” – todos os emails enviados para o endereço da dita eram reenviados para os todos subscritores.

Entre reclamações e discussões – a coisa descambou para um fórum espontâneo – alguém coloca isto:

EU SOU O ANJO DO DESESPERO
[Heiner Müller – Adolfo Luxúria Canibal / Miguel Pedro]

Eu sou o anjo do desespero.
Das minhas mãos distribuo a embriaguês,
a estupefacção, o esquecimento, gozo e
tormento dos corpos.
Meu discurso é o silêncio, meu canto o grito.
À sombra das minhas asas mora o terror.
Minha esperança é o último suspiro.
Minha esperança é a primeira batalha.
Eu sou a faca com que o morto arromba o seu caixão.
Eu sou aquele que será.
Meu descolar é a sublevação, meu céu o abismo de amanhã.

O abalo também foi sentido aqui.

adjectivo

Famigerado é mais uma daquelas palavras detestáveis. Estará em terceiro lugar no meu top, logo a seguir a almejar e a escrutínio.

resultados da pesquisa

Os leitores que chegaram a este blog através do Google utilizaram as seguintes palavras-chave:

l123
two guys for every girl
caril vermelho
lisboa soundz
sudoeste 2006 daft punk
caril de atum
musicas do reggaton
you gonna want me
botas de plataforma
o gosto do gosto
eugénio de andrade
alegria no trabalho
imaginar primeiro é ver

maniqueísmo

“O treinador quer aliar as vitórias aos bons resultados e por vezes isso não é possível.”

-Maniche

[desculpa, Joana. não resisti.]